Print this page

Seis boas razões para se manter fiel à dieta mediterrânica Featured

A dieta mediterrânica é das mais cobiçadas do mundo e não é difícil perceber o porquê.

Inspirada nos países banhados pelo Mar Mediterrâneo, a deita mediterrânica é muito mais do que um padrão alimentar, é um estilo de vida que dá prioridade aos alimentos saudáveis, aos alimentos cultivados perto de casa e ainda às refeições feitas em família.

De acordo com Direção-Geral da Saúde, a dieta mediterrânica assenta, fundamentalmente, nos seguintes pontos:

1 - "Consumo elevado de alimentos de origem vegetal (cereais pouco refinados, produtos hortícolas, fruta, leguminosas secas e frescas e frutos secos e oleoginosos)";

2 - "Consumo de produtos frescos , pouco processados e locais, respeitando a sua sazonalidade";

3 - "Utilização do azeite como principal gordura para cozinhar ou temperar alimentos";

4 - "Consumo baixo a moderado de lacticínios";

5 - "Consumo frequente de pescado e baixo e pouco frequente de carnes vermelhas";

6 - "Consumo de água como a bebida de eleição e baixo e moderado consumo de vinho a acompanhar as refeições principais";

7 - "Realização de confeções culinárias simples e com os ingredientes nas proporções certas";

8 - "Prática de atividade física diária";

9 - "Fazer as refeições em família ou entre amigos, promovendo a convivência entre as pessoas à mesa".

Mencionada pela primeira vez em meados dos anos 50 do século passado, a dieta mediterrânica tem conseguido um estatuto que nenhuma outra dieta conseguiu e possivelmente vai conseguir alcançar. E não é difícil perceber o porquê, não fosse toda a essência mediterrânica uma fonte de saúde por excelência.

De acordo com a revista norte-americana Men's Health, são seis as principais razões para se manter fiel à dieta mediterrânica, um estilo de vida que, infelizmente, os portugueses parecem estar a dar cada vez menos valor (e os elevados níveis de obesidade dos dias de hoje são prova clara disso).

Eis porque a alimentação mediterrânica é uma boa aposta:

Melhora a saúde do coração, uma vez que faz do peixe e das gorduras saudáveis protagonistas, oferecendo antioxidantes e ácidos gordos ómega 3 que atuam como escudos protetores do órgão vital;

O cérebro não irá envelhecer tão depressa, visto que os ácidos gordos ómega 3 e as vitaminas do complexo B que marcam presente nos alimentos que compõe esta dieta já se mostraram mais do que eficazes na hora de estimular a saúde cerebral, atuando mesmo como travão para o declínio cognitivo e desenvolvimento de Alzheimer;

A visão fica melhorada e tudo à boleia dos excelentes níveis de antioxidantes das frutas e vegetais - que são a base da alimentação;

O risco de vários tipo de cancro é reduzido e graças ao poder que este tipo de alimentação tem em reforçar o sistema imunitário e promover o peso saudável;

A saúde renal fica também melhorada, não só pelo maior consumo de água, mas também pelo simples facto de os alimentos processados não serem uma constante no dia a dia.

Fonte: ANILACT

  • Last modified on Thursday, 30 November 2017 11:18