Portuguese English French German Italian Spanish

  Acesso à base de dados   |   email: qualfood@idq.pt

Urina de vaca como fertilizante agrícola

A utilização de urina de vaca na fertilização dos solos agrícolas tem «muitas vantagens» para o agricultor porque é «rica» em nutrientes e tem um efeito insecticida e fungicida, concluiu um estudo desenvolvido pela Universidade de Vila Real.

«A urina de vaca é um óptimo fertilizante por ser muito rico em nutrientes essenciais às plantas, não demonstra fitotoxicidade, quando utilizada em dosagens correctas, apresenta baixo custo de aquisição, tem um efeito rápido, bem como insecticida e fungicida, sendo uma alternativa aos fitofármacos e não causa risco à saúde do produtor nem do consumidor», adiantou o estudo, citado num comunicado da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) enviado à Lusa.

A utilização deste fertilizante orgânico tem «resultados superiores» aos fertilizantes comerciais, frisou o estudo orientado pelo docente e investigador da UTAD, Henrique Neto.

Outras das vantagens da urina de vaca é de ser obtida nas explorações agro-pecuárias, melhorando o meio ambiente, e proporcionar «bons resultados» nas várias aplicações, dosagens e concentrações, realçou.

O trabalho de investigação realizou-se numa das estufas da área experimental da universidade onde foi avaliado o efeito da diluição crescente de urina de vaca como fertilizante, através de um delineamento experimental composto por oito tratamentos com três repetições no tempo, utilizando como material vegetal o milho amarelo da região do vale de Vila Pouca de Aguiar, no distrito de Vila Real.

Durante a investigação, foram feitos três ensaios onde se testaram oito tratamentos em tabuleiros individuais, um dos quais utilizando apenas água, outro fertilizante químico comercial e nos restantes concentrações distintas de urina de vaca em água.

«Estes ensaios, acompanhados ao longo de 27 dias, permitiram concluir que as elevadas concentrações de urina de vaca produzem um efeito inibidor não permitindo uma boa taxa de germinação da semente, contudo a utilização da mesma matéria-prima com baixas concentrações, permitiu fertilizar o material vegetal com resultados superiores ao fertilizante comercial», determinou o estudo.

 

 

Fonte: Lusa

  • Last modified on Thursday, 17 December 2015 15:12