Portuguese English French German Italian Spanish

  Acesso à base de dados   |   email: qualfood@idq.pt

Carne de 150 dólares o quilo ameaçada por ração de 9 cêntimos

O wagyu japonês, conhecido por ter uma carne macia, gordurosa e marmorizada, depende do fornecimento de palha de arroz da China, parte importante da dieta rica em proteínas e altamente calórica do gado gourmet. Depois da eclosão da peste suína africana na China, grande parte dessa ração vital foi proibida de entrar no Japão, e o Ministério da Agricultura do país teme que futuramente não haja oferta disponível devido à disseminação dessa doença fatal.

A peste suína africana, uma doença altamente contagiosa que começou a espalhar-se pela China em Agosto, gerou alarme nos países vizinhos, que implementaram uma maior vigilância de doenças e controlo das importações. Sem vacina, o vírus é 100% letal para os porcos e pode gerar prejuízos no sector agrícola de um país. A doença não afeta o gado, mas pode ser transmitida aos porcos através de alimentos contaminados, o que significa que o Japão precisa de aumentar as suas medidas de biossegurança para evitar que o vírus entre nas suas fronteiras.

"Este é um grande problema para as indústrias de gado chinesa e japonesa", disse Shinichi Igawa, vice-director da divisão de saúde animal do Ministério da Agricultura do Japão. "Talvez tenhamos que encontrar fontes de oferta alternativa de palha de arroz, ou alternativas à palha de arroz, dado o risco de a peste suína africana continuar a espalhar-se pela China".

O ministério já suspendeu encomendas de palha de arroz de 25 das 80 instalações de processamento da China aprovadas pelo Japão para importação. As 25 instalações proibidas estão dentro de um raio de 50 quilómetros das quintas de criação de porcos chinesas atingidas pela peste suína africana. As restantes instalações também estão em risco porque ficam nas províncias de Liaoning e Jilin, no nordeste do país, ambas afectadas pela doença.

O surto de peste suína africana foi confirmado em 74 pontos da China a 9 de Novembro, segundo o ministério japonês. Do total, 27 ficam em Liaoning. As importações de palha de arroz da China caíram 17% em Setembro face ao mês anterior, para 16.586 toneladas, segundo dados do Ministério da Agricultura.

O Japão importou mais de 200 mil toneladas de palha de arroz da China no ano passado, cerca de 20% do total necessário para alimentar o seu gado premium, que está a ser vendido nos supermercados por mais de 150 dólares o quilo. A palha de arroz chinesa pode ser comprada por apenas 10 ienes (cerca de 9 cêntimos de dólar) o quilo, enquanto a variedade doméstica pode ser mais cara para os criadores que não contam com produtores de arroz nas proximidades devido ao elevado custo do transporte. Pode ser mais económico comprar alternativas, como palha de trigo dos EUA ou da Austrália, disse Igawa.

Para os amantes do wagyu, o preço já elevado da carne poderá aumentar ainda mais, a menos que seja encontrado um substituto, segundo Igawa.

Fonte: Jornal de Negócios