Portuguese English French German Italian Spanish

  Acesso à base de dados   |   email: qualfood@idq.pt

O mundo escondido da fraude alimentar

As maiores cadeias da indústria alimentar movimentam milhões em todo o mundo. Num mercado extremamente competitivo, algumas das grandes empresas procuram estar sempre um passo à frente dos adversários. No entanto, na tentativa de ultrapassarem os adversários acabaram por protagonizar episódios polémicos, nomeadamente de fraude alimentar.

Carne podre congelada

Segundo a NBC, em 2015 a polícia chinesa montou uma operação para capturar traficantes de carnes. Foram descobertos diversos quilos de carne, sendo que algumas datavam de 1970.

Carne misteriosa

A cadeia KFC sofreu um grande revés na China quando descobriu-se que a carne usada pelos restaurantes era fornecida pela Shanghai Husi Food Co. Esta empresa usava carne que tinha caído ao chão e também misturava carne fresca com outras que já estavam fora de prazo.

Carne de cavalo

De acordo com o USA Today, foram descobertos vários vestígios de carne de cavalo nos bifes usados pelo Burger King. Quando a informação foi revelada, a cadeia de restaurantes rompeu imediatamente com a fornecedora dos bifes.

Carne brilhante

De acordo com o Daily Mail, na China um homem descobriu que a carne de porco que tinha em casa brilhava no escuro. Investigadores afirmaram que tal poderia ter acontecido porque o porco podia ter sido alimentado com uma grande quantidade de fósforo.

Carne de frango adulterada

De acordo com a Fox News, um estudo feito por uma organização do Canadá concluiu que a carne de frango usada pela cadeia Subway continha apenas 50 por cento do ADN de galinha. Os investigadores descobriram que a Subway usava soja para fazer os restantes 50 por cento.

Carne bizarra

Segundo a ABC News, a carne usada pelo Taco Bell só tinha 88 por cento de carne.

Carne de frango com água

Segundo o The Guardian, em algumas grandes superfícies como o Aldi e a Asda, são vendidos peitos de frango que são bombeados com água e aditivos.

Carne de rato

Segundo o The New York Times, um gangue de traficantes na China vendia carne de cabrito que na verdade era carne de rato. A carne era mergulhada em gelatina, pigmentos vermelhos e nitratos antes de ser vendida ao público.

Aroma de carne

Segundo a CBS News, duas pessoas vegetarianas de Seattle decidiram processar o McDonald’s por estes usarem aroma de carne nas batatas fritas.

Venda de ovos falsos

Segundo a edição online da Time, em 2012 existiam pessoas na China que vendiam ovos a preços mais baratos do que nos supermercados. Estes ovos eram falsos e eram feitos com recurso a um molde, resina, amido e pigmentos.

Doença das vacas loucas

No final da década de 1980 foi descoberta esta doença. A partir daí foram feitas inúmeras restrições e foram descobertos vários casos. Durante alguns anos foi proibido importar carne de bovino vinda do Reino Unido e descobriu-se que a doença poderia ser transmitida para os humanos sob a forma da doença Creutzfeldt Jakob.

Flocos de aveia radioativos

Segundo o The New York Times, estudantes descobriram que andavam a ser alimentados com flocos de aveia radioativos da Quaker Oats, numa experiência involuntária, durante as décadas de 1940 e 1950. As vítimas receberam milhões de dólares como indemnização.

Trigo contaminado

Em 1971 o Médio Oriente passava por um período de seca. Devido a isso o Iraque importou trigo vindo do México. No entanto, este trigo continha um fungicida feito à base de mercúrio. O produto chegou tarde e os agricultores deram-no aos animais e às crianças. Quase 500 pessoas morreram e milhares sofreram danos cerebrais.

Noodles com chumbo

Segundo a Fortune, o negócio dos noodles da Maggi estava a correr bem na Índia, até que foi descoberto que estes continham sete vezes mais chumbo do que o permitido.

Paprica com chumbo

De acordo com o LA Times, descobriu-se que na Hungria quase 50 pessoas tinham sido internadas em hospitais devido à ingestão de paprica que continha chumbo. Aparentemente o chumbo era usado para tornar a paprica mais apelativa.

Pimenta de lama

Segundo o Global Times, na China um homem vendia pimenta falsa. Esta era feita de lama e a branca era feita de flúor.

Cominho substituído por nozes

Segundo o Huffington Post, uma agência alimentar descobriu que no Reino Unido estavam a ser vendidos cominhos com vestígios de nozes nas prateleiras dos supermercados.

Sumo trocado por água

Segundo o The New York Times, em 1987 descobriu-se que a marca Beech-Nut vendia sumo para bebés feito à base de maçã, mas no entanto este não passava de água com açúcar. Foram multados em 2 milhões de dólares.

Água canalizada engarrafada

Segundo um artigo de 2012 da edição online do Daily Mail, em algumas grandes superfícies como a Tesco e a Asda, eram vendidas garrafas de água que continham água canalizada.

Fraude com azeite

Segundo a Mother Jones, na zona do Mediterrâneo, traficantes diluíam azeite de oliva com óleo de girassol e vendiam-no como se fosse azeite extra-virgem.

Melancias explosivas

De acordo com o The Guardian, na China um agricultor usou um químico para acelerar o crescimento da sua plantação de melancias. Estas explodiram como se fossem bombas. Mais tarde foi referido que o químico usado pelo agricultor não poderia ser usado em melancias.

Fonte: Notícias ao minuto