Portuguese English French German Italian Spanish

  Acesso à base de dados   |   email: qualfood@idq.pt

WHO: Alimentos inseguros continuam a afetar milhões na Europa

A região Europeia não pode se dar ao luxo de perder o foco em outras ameaças à saúde durante o surto de coronavírus, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Autoridades do Escritório da OMS para a Europa reportaram que alimentos inseguros ainda afetam milhões durante a pandemia do COVID-19 e que a região deve continuar a melhorar a segurança alimentar.

Estima-se que todos os anos, 23 milhões de pessoas adoecem na região europeia da OMS e 4.700 morrem por ingerirem alimentos contaminados, de acordo com dados publicados pela OMS em 2015. Os alimentos inseguros também desempenham um papel no desenvolvimento socioeconómico dos países, pois afeta o comércio internacional e as oportunidades de mercado.

Em 2019, a OMS Europa alertou que estes números eram apenas a ponta do iceberg e o verdadeiro número de casos era desconhecido. As estatísticas traduzem-se em 44 pessoas que ficam doentes, a cada minuto devido à ingestão de alimentos contaminados.

O risco não pode ser eliminado, deve ser gerido

Dr. Hans Henri P. Kluge, diretor regional da OMS para a Europa, disse que a segurança alimentar é uma questão de saúde complexa.

“Os riscos de segurança alimentar não podem ser totalmente eliminados, mas devem ser geridos ao longo de toda a cadeia alimentar, do campo à mesa. Reduzir os riscos de segurança alimentar requer colaboração entre setores, partes interessadas e fronteiras nacionais. ”

O Dia Mundial da Segurança Alimentar deste ano, em 7 de junho, foi comemorado durante a crise do COVID-19. A OMS Europa pediu liderança e compromisso dos responsáveis pelas políticas, coordenação e parcerias entre setores, partes interessadas e países, alocação de recursos e responsabilidades adequados por todos os envolvidos para fazer o que for necessário para tornar os alimentos seguros.

Houve um nível reduzido de relatos de surtos transmitidos por alimentos durante o mês de abril, mas as atividades voltaram ao normal em maio, de acordo com o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC).

A OMS Europa trabalha em colaboração com as autoridades de saúde e segurança alimentar na região para implementar o Plano Estratégico de Segurança Alimentar, incluindo as zoonoses transmitidas por alimentos de 2013 a 2022.

As causas mais frequentes de doenças transmitidas por alimentos são agentes como norovírus, Campylobacter e toxoplasmose da doença parasitária. A Salmonella não tifoidal causa mais mortes. Outras causas de morte incluem contaminações por Listeria monocytogenes e Echinococcus multilocularis.

EFSA aumenta a consciencialização sobre segurança alimentar

Uma pesquisa da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) constatou no ano passado, que enquanto 2 em cada 5 europeus estão interessados ​​em segurança alimentar, apenas 1 em cada 5 diz que é a principal preocupação na escolha de alimentos. Alimentos inseguros com bactérias, vírus, parasitas ou substâncias químicas nocivas causam mais de 200 doenças.

“A pandemia do COVID-19 é um lembrete oportuno dos perigos causados ​​por organismos patogénicos e da importância das boas práticas de higiene. Embora os alimentos não sejam a fonte ou veículo de transmissão do COVID-19, a emergência mostrou dolorosamente o impacto que essas doenças podem ter na saúde pública e no bem-estar socioeconómico”, disse Bernhard Url, diretor executivo da EFSA.

“Não há dúvida de que a segurança alimentar na Europa é uma responsabilidade compartilhada. A cooperação ajuda, não só, a compartilhar a carga de trabalho e os recursos necessários, mas também fornece a rede para canalizar informações e melhores práticas, para que todos na Europa possam beneficiar do sistema da UE.”

Um porta-voz da EFSA disse que a crise do COVID-19 destacou o papel crucial da preparação, vigilância e colaboração interdisciplinar a níveis nacional, regional e internacional, bem como a higiene dos alimentos do campo ao garfo.

Fonte: Food Safety News

  • Last modified on Friday, 12 June 2020 11:09