Portuguese English French German Italian Spanish

  Acesso à base de dados   |   email: qualfood@idq.pt

Bruxelas financia campanha para incentivar jovens a comer carne de porco

Bifanas, cozido à portuguesa e enchidos ameaçados pela desinformação, defende a iniciativa. "Let's Talk About Pork" é o nome da campanha que acaba de ser lançada, em simultâneo em Portugal, Espanha e França.

São pratos comuns nas mesas nacionais, como outros que podíamos ter aqui mencionado, uma vez que são inúmeros os exemplos de iguarias que partilham uma das carnes mais consumidas em Portugal - o porco.

Segundo os produtores, a proteína animal está a ser vítima de desinformação, que será combatida com uma campanha de esclarecimento, no valor de 7.500 milhões de euros, pagos pela Comissão Europeia.

"Let's Talk About Pork" (vamos falar de porco) é o nome da iniciativa que acaba de ser lançada, em simultâneo em Portugal, Espanha e França. Vai decorrer durante três anos e dirige-se sobretudo ao público jovem, até aos 30 anos, que levados pela "desinformação" têm substituído o consumo da carne de porco por outros bens alimentares.

O objectivo é "desmistificar alguns dos mitos mais frequentes sobre a carne de porco", que apesar de ser uma das mais consumidas a nível mundial, "tem sido alvo de mensagens erradas e por vezes difamatórias, que associam negativamente a produção de porcos a temas sensíveis ligados com o ambiente, a segurança alimentar e o bem-estar animal." Uma das mais recentes chegou da China, que associou este animal a um novo vírus.

Vitor Menino, Presidente da Aligrupo, uma das entidades que vai gerir em Portugal esta iniciativa, garante que “nos próximos três anos teremos oportunidade de desmistificar e esclarecer dúvidas sobre a relação da suinicultura com o meio ambiente, e também com a segurança alimentar, o bem-estar animal, a investigação, a diversidade, os benefícios nutricionais e a alimentação animal."

"Durante a campanha, o objetivo é esclarecer, informar e comprovar que adotamos as técnicas de produção mais avançadas do mundo e que a carne de porco que se vende em Portugal obedece às mais rigorosas regras de segurança alimentar e bem-estar animal”, acrescenta.

O investimento total previsto em Portugal nesta campanha é de 1,4 milhões de euros e não é por acaso. O sector da suinicultura emprega mais de 50 mil trabalhadores no país e contribui para o PIB nacional com mais de mil milhões de euros em volume de negócios agregado. É ainda responsável pela fixação de populações em meios rurais, evitando a desertificação de algumas das regiões mais carenciadas do país.

O Porco é presença assídua nas mesas nacionais. Cada habitante consome, em média, 44 kg por ano de carne de porco, o que o torna a fonte de proteína animal preferencial dos portugueses.

A carne de porco tem um papel principal na economia local, mas também na dieta alimentar mediterrânica, considerada pela UNESCO património imaterial da humanidade.

A Comissão Europeia já veio entretanto esclarecer, em comunicado, que "não lança estas campanhas, estas são da responsabilidade de organizações de produtores". O executivo comunitário apenas seleciona os projectos apresentados, "com base em processos abertos e bem definidos envolvendo partes interessadas e os Estados Membros, tal como avaliadores externos. As organizações de produtores enviam as suas propostas de ideias para promoção e também participam no financiamento das campanhas."

A Comissão Europeia sublinha ainda que "Trata-se de promover todo o tipo de produtos europeus, incluindo carne, que é, também, uma importante produção europeia. E nada tem a ver com escolhas individuais de dieta, tem a ver com dar a informação completa para que essas escolhas sejam feitas com base em informação completa."

Fonte: Renascença

  • Last modified on Friday, 10 July 2020 11:59