Portuguese English French German Italian Spanish

  Acesso à base de dados   |   email: qualfood@idq.pt

Este alimento é a causa número um de intoxicações alimentares

De acordo com uma análise norte-americana recente, levada a avante pelo Centro de Controlo e de Prevenção de Doenças (CDC), entre 2009 e 2015 mais de 100 mil pessoas terão sido afetadas por surtos de doenças provocados por alimentos contaminados. E entre eles há um em particular que se destaca...

E qual foi o alimento que mais pessoas doentes deixou? O frango. Esta carne foi confirmada pela CDC como sendo a causa de mais de três mil (cerca de 12%) daqueles casos.

Porco e produtos hortícolas alcançaram a segunda e terceira posição pela número de doenças provocadas, ambos com mais de 2,500 casos registados, ou cerca de 10% cada.

Entre 2009 e 2015, e de acordo com aquele relatório, foram registados 5,760 surtos, os quais resultaram em 100,939 doenças, 5,699 hospitalizações, e 145 mortes.

Cerca de metade desses surtos de envenenamento alimentar foram atribuídos à contaminação por norovírus, seguida pela salmonela, listeriose e E.coli – que ao todo foram responsáveis por 82% dos internamentos hospitalares e de óbitos.

O que deve fazer

Para se proteger da ocorrência de intoxicações alimentares, a CDC recomenda que cozinhe sempre e prolongadamente o frango e a carne em geral, ingerindo esses alimentos bem passados. A carne das aves deverá ser cozinhada à temperatura de 145 graus centígrados e a carne vermelha a 160 graus. A CDC alerta ainda para que coloque as respetivas sobras prontamente no frigorífico.

Deverá também escorrer os sumos da carne embalada, já que esses líquidos em particular poderão conter salmonela.

Finalmente, mantenha as carnes cruas separadas de quaisquer outros alimentos na sua cozinha, e use tábuas diferentes para as cortar e preparar que deverão ser lavadas extensivamente após serem utilizadas. Ah… e claro, lave sempre as mãos!

Fonte: Notícias ao Minuto