Portuguese English French German Italian Spanish

  Acesso à base de dados   |   email: qualfood@idq.pt

A DGAV publica esclarecimento sobre a aplicação do Regulamento (UE) n.º 1169/2011, do Parlamento Europeu e do Conselho, relativo à prestação de informação aos consumidores sobre os géneros alimentícios e as respetivas normas de execução.

Fonte: DGAV

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) anunciou esta segunda-feira a apreensão de 33 quilos de carne congelada e a suspensão de atividade de dois restaurantes na baixa de Faro, por incumprimento de condições de higiene.

Em comunicado, a ASAE adiantou que a operação de fiscalização, realizada na Unidade Regional do Sul, na passada semana, incidiu sobre 21 operadores económicos, tendo sido instaurados onze processos de fiscalização em restaurantes da baixa da capital algarvia.

Além dos 33 quilos de carne congelada armazenada em deficientes condições de acondicionamento, a ASAE detetou ainda infrações de natureza criminal, nomeadamente fraude sobre mercadorias, como a utilização de paloco na confeção de prato de bacalhau e a existência de "géneros alimentícios anormais".

Foi igualmente apreendida uma quantidade não especificada de amêijoas, ostras e lingueirão, pelo facto de os estabelecimentos não terem apresentado documentação obrigatória que atestasse a sua proveniência, o que configura um "desrespeito das normas sanitárias para a colocação de moluscos vivos no mercado", acrescentou a ASAE.

A falta de requisitos em géneros alimentícios, a deficiente implementação do sistema de segurança alimentar HACCP e a falta de controlo metrológico em equipamento de pesagem foram outras das infrações detetadas.

A ação de fiscalização resultou ainda na instauração de três processos-crime e nove processos de contraordenação, tendo ainda sido suspensa a atividade de dois estabelecimentos "por incumprimentos dos requisitos gerais e específicos de higiene".

Fonte: TVI 24

A DGAV divulga o Despacho nº 15/G/2016 relativo à Inspeção obrigatória de equipamentos de pulverização de produtos fitofarmacêuticos.

Fonte: DGAV

Entrou em vigor no dia 18 de novembro o Edital n.º 42 da Língua Azul (Febre Catarral Ovina), no qual a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária determina as medidas específicas de proteção contra a doença, e novo alargamento da área de vacinação obrigatória de ovinos.

Para mais informações sobre o assunto, consulte o genérico Língua Azul .

Fonte: DGAV

A DGAV divulga poster relativo a Xylella fastidiosa, bactéria que infeta um vasto numero de espécies de plantas. Pretende-se que os profissionais e a população em geral estejam atentos e reportem aos serviços oficiais quaisquer casos suspeitos da presença da doença.

Mais informação neste portal.

Fonte: DGAV

A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária apresenta a edição de 2016 do "Guia dos Produtos Fitofarmacêuticos: Lista dos produtos com venda autorizada", atualizado a 01 de janeiro de 2016.

Neste guia estão incluídos todos os produtos fitofarmacêuticos com uma autorização de venda concedida pela DGAV, condição indispensável para que estes produtos possam ser comercializados e utilizados no território nacional.

Fonte: DGAV

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) anunciou em comunicado, ter suspendido a atividade de três lares de idosos por incumprimento de “requisitos gerais e específicos de higiene”.

Segundo a ASAE, os lares foram encerrados na sequência de uma operação realizada no início de novembro, durante a qual foram fiscalizados 137 operadores.

Além do encerramento dos três lares, a ASAE instaurou “dois processo-crime, 15 processos de contraordenação", tendo também efetuado "duas detenções”.

Na operação, os inspetores da ASAE encontraram diversas infrações a nível alimentar, incluindo o abate clandestino de animais para consumo.

Destacam-se como principais infrações de natureza criminal o abate clandestino", refere o comunicado, acrescentando que, ao nível contraordenacional, foi verificado "o incumprimento dos requisitos gerais e específicos de higiene, a falta de inspeção periódica à instalação de gás, a não verificação da qualidade da água, a comercialização com data limite de consumo ultrapassada".

Durante a operação, a ASAE apreendeu 160 litros de azeite e 810 quilogramas de carne e produtos fora do prazo de validade.

Além disso, o comunicado refere também a existência de casos de lares, com "falta de licenciamento para a atividade".

Fonte: TVI 24

Saladas embaladas podem ser perigosas

  • Monday, 21 November 2016 17:35

Um estudo revelou que as saladas embaladas podem fazer com que a Salmonella aumente mais de 2440 vezes.

Salmonella é um microrganismo patogénico humano e animal, que consegue crescer em ambientes com temperaturas entre 7 e 48°C e que se apresenta nos seres humanos como uma intoxicação alimentar (gastroenterite).

“Isto reforça fortemente a necessidade de os produtores de salada manterem elevados padrões de segurança alimentar, uma vez que mesmo poucas células de Salmonella num saco de salada no momento da compra se podem tornar em muitos milhares até ao momento em que o saco de salada atinge a sua data de validade, mesmo se for mantido em refrigeração”, afirma a Dra. Primrose Freestone, líder do estudo e membro do departamente de infeção, imunidade e inflamação da Universidade de Leicester, segundo o Daily Mail.

Os cientistas revelam uma grande preocupação e alertam para que se lave muito bem os alimentos embalados.

Fonte: Sapo

Tecia solanivora - circular n.º 36/2016

  • Friday, 18 November 2016 17:22

A DGAV divulga a circular nº36/2016 relativa à ocorrência de Tecia solanivora em Espanha.

Pretende-se alertar os profissionais para o risco de introdução desta praga, solicitando-se comunicação imediata de qualquer caso suspeito aos Serviços Oficiais.

Fonte: DGAV

Atendendo à situação da Gripe Aviária na União Europeia, em particular à ocorrência desde o início do mês de novembro de vários focos de Gripe Aviária de Alta Patogenicidade (GAAP) em vários Estados Membros, esta Direção Geral emitiu uma nota informativa com o objetivo de relembrar, a todos os intervenientes, as medidas preventivas para evitar a introdução do vírus da GA em território nacional.

Estas medidas dizem respeito à adequada aplicação das medidas de biossegurança, bem como à necessidade de um estado de alerta acrescido em relação a quaisquer sinais que façam suspeitar da doença.

Qualquer suspeita deverá ser de imediato notificada aos Serviços Regionais da DGAV.

Mais informações sobre Gripe Aviária.

Fonte: DGAV