Portuguese English French German Italian Spanish

  Acesso à base de dados   |   email: qualfood@idq.pt

Tanto a população quanto as grandes entidades estão cada vez mais conscientes da importância de cuidar do planeta. Algo chave neste sentido é reduzir o desperdício alimentar, sendo que milhares de toneladas de desperdício são geradas todos os dias, em todo o mundo.

Especificamente, de acordo com a ONU, estima-se que 931 milhões de toneladas de alimentos foram descartadas em 2021, ou seja, 17% do total disponível aos consumidores. Assim, as empresas apostam cada vez mais na sustentabilidade, surgindo estratégias como a chamada “Do Prado ao Prato” (“Farm to Fork”).

Inteligência artificial

A tecnologia pode ser uma grande aliada para amenizar este problema. Um exemplo é o retalhista turco Migros, que está a utilizar inteligência artificial para monitorizar a situação dos stocks de frutas e vegetais e gerar alarmes sobre o seu estado, para que certos alimentos possam ser prioritizados e promovidos antes de serem vendidos, explica Nina Lund, a responsável de Retail & Consumer Goods EMEA Business da Microsoft.

Outro exemplo é o fabricante dinamarquês Danfoss, que desenvolveu um sistema com sensores para garantir que os frigoríficos e congeladores para armazenamento de alimentos se mantenham nas temperaturas corretas e para alertar a equipa em caso de qualquer incidente.

Fonte: Grande Consumo

Os supermercados na Austrália estão a enfrentar problemas de abastecimento, principalmente em produtos frescos e de carne, na sequência da rápida propagação da Covid-19 no país, que esta terça-feira relatou cerca de 48.000 novas infeções e quatro mortes.

A falta destes produtos nas prateleiras dos supermercados após as festividades deve-se a problemas logísticos ligados ao elevado número de infeções da Covid-19 entre camionistas e trabalhadores, incluindo nos centros de distribuição.

Sydney e Melbourne, as cidades mais populosas do país, foram as mais atingidas pelo surto da variante Ómicron.

“Temos fornecimentos disponíveis na nossa rede e as nossas equipas e fornecedores estão a fazer tudo o que podem para reabastecer as nossas lojas o mais rapidamente possível”, disse um porta-voz da cadeia de supermercados Woolworths, uma das maiores do país, à agência noticiosa espanhola Efe.

A Austrália, que já sofreu escassez de produtos como o papel higiénico durante a pandemia, está a passar novamente por “um período de incerteza” devido às compras provocadas pelo medo e ao grande número de pessoas incapazes de trabalhar por causa da Covid-19, disse o diretor da Unidade de Investigação de Gestão da Cadeia de Abastecimento da Universidade de Monash, Amrik Sohal. "Há falta de trabalhadores em todo o lado e as instalações não podem funcionar em plena capacidade. Podemos esperar mais montras vazias porque não sabemos o que vai acontecer na próxima semana", disse à rede de televisão ABC.

O governo australiano reitera que não tem planos para decretar a contenção porque o país enfrenta uma fase de “viver com o vírus”.

Contudo, as fronteiras estão ainda fechadas à chegada dos turistas e só nos últimos meses é que os cidadãos foram autorizados a deixar o país, enquanto que o plano de reabrir as fronteiras a estudantes e trabalhadores qualificados estrangeiros continua.

Fonte: Observador

Foi publicada a 31 de Dezembro de 2021 em Diário da República, a Portaria 331-E/2021 que procede à regulamentação da contribuição sobre as embalagens de utilização única de plástico ou alumínio, ou multimaterial com plástico ou com alumínio, a serem adquiridas em refeições prontas a consumir.
 
O disposto na presente portaria aplica-se às embalagens primárias, incluindo embalagens de serviço, de utilização única para alimentos e bebidas, fabricadas total ou parcialmente a partir de plástico, de alumínio ou multimaterial com plástico ou com alumínio, que sejam adquiridas em refeições prontas a consumir, nos regimes de pronto a comer e levar ou com entrega ao domicílio, doravante designadas embalagens de utilização única.
 
Pode consultar o diploma aqui.
Fonte: DRe/ Qualfood

Durante o mês de janeiro a Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) através da iniciativa “Um mês a celebrar para todo o ano relembrar” divulgará informação, vídeos e opiniões de diferentes setores da sociedade relacionadas com o tema ” Uma Só Saúde”.

As ações que de forma direta ou indireta  interferem com o equilíbrio dos ecossistemas constituem fatores da maior importância para a saúde humana e animal .

A relação íntima entre o meio ambiente, a saúde das populações e a saúde dos animais tem sido  reconhecida por diversos especialistas, que a integram num conceito abrangente e global  designado por “Uma Só Saúde”.

Mais informações no site oficial da DGAV.

Fonte: DGAV

A 30 de dezembro de 2021, o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (Laboratório Nacional de Referência para as doenças dos animais), confirmou um terceiro foco de infeção por vírus da gripe aviária do subtipo H5N1 de alta patogenicidade, em exploração de perus, situada em Vila Nova da Barquinha.

A Direção Geral de Alimentação e Veterinária ativou de imediato o plano de contingência para esta nova zona de restrição e implementou as medidas de controlo previstas na legislação em vigor .

Estas medidas incluem a inspeção ao local onde foi detetada a doença, assim como às explorações de detenção de aves existentes na zona de restrição sanitária ao redor do foco, no raio de 3 km (zona de proteção) e de 10 km (zona de vigilância) e a intensificação da vigilância da doença.

Na sequência deste evento a DGAV publicou o Edital nº 3/2021 da Gripe Aviária. 
Para mais informações, consulte o Comunicado de Imprensa

Fonte: DGAV

 

Um lote específico de Grand Ferrero Rocher Dark de 125g foi retirado do mercado, tanto em Portugal, como em Espanha, por não ter indicação no rótulo de que o produto contém vestígios de leite.

"O Grupo Ferrero acaba de informar que está a retirar totalmente do mercado, em Espanha e Portugal, um lote específico de Grand Ferrero Rocher Dark de 125g, com data de validade de 20/04/2022, visto que o produto poderá conter vestígios de leite, algo que não está indicado no seu rótulo. Este lote em concreto foi distribuído em quantidades muito limitadas nestes países e o problema em questão não afeta a restante oferta comercializada pelo Grupo", pode ler-se em comunicado.

A Ferrero indica que o incidente já foi comunicado às autoridades sanitárias, garantindo que estão a ser tomadas "todas as medidas necessárias para resolver esta situação e prevenir ocorrências semelhantes no futuro".

A marca alerta ainda os consumidores "que possam ser alérgicos ou intolerantes ao leite para não consumirem este produto" e pede a quem o possa ter adquirido, "sem o poder consumir", que contacte a marca através do e-mail This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it. para que possa ser reembolsado.

"O grupo relembra que este incidente se limita apenas a este produto em específico de toda a gama Ferrero Rocher, e que não afeta de forma alguma, todo e qualquer consumidor que não seja intolerante ao consumo de laticínios", acrescenta a marca na mesma nota.

Fonte: TSF

Na sequência da publicação do Aviso do IVV informa-se que a submissão de candidaturas da campanha 2022-2023 foi prorrogada até às 17:00 h do dia 24 de janeiro de 2022.

Os investimentos passam a ser elegíveis a partir de 26 março de 2022, em cumprimento do exposto no ponto 1 do Art.º 8.º da  Portaria nº 274-A/2020  de 2 de dezembro, alterado pela Portaria n.º 15-A/2021 de 14 de janeiro, e pela  Portaria nº 265-A/2021  de 24 de novembro.

Neste novo enquadramento e sob pena de incumprimento das regras definidas, todos os candidatos devem ter em atenção a data de 26 de março de 2022 como data a partir da qual podem dar início aos investimentos.

Para atualização da data prevista para início do investimento, podem ser efetuadas substituições das candidaturas já submetidas na plataforma O Meu Processo > Candidaturas > Regime de Apoio à Reestruturação e Reconversão das Vinhas (VITIS) > Campanha 2021-2022 > Entregar/Alterar/Consultar, na Área Reservada do Portal, até dia 24 de janeiro de 2022.

Fonte: Agroportal

O surto de gripe aviária detetado numa exploração de perus em Óbidos não afetou os trabalhadores da empresa nem aves de aviários próximos, informou hoje o Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC).

Num ponto de situação, a Proteção Civil de Óbidos esclareceu que, “na sequência das análises realizadas aos colaboradores da empresa exploradora dos aviários” localizados na Avarela, no concelho de Óbidos, distrito de Leiria, “todos os resultados foram negativos, não existindo a transmissão do vírus das aves para os colaboradores em contacto direto com as mesmas”.

O SMPC dá nota de que foram também realizadas análises às 13 explorações aviárias localizadas na zona de proteção, tendo sido recolhidas “mais de 300 amostras”, todas com resultado negativo.

O foco de infeção pelo vírus da gripe aviária, do subtipo H5N1, foi detetado na sexta-feira numa exploração comercial, tendo na altura sido estabelecidas zonas de restrição sanitária, incluindo uma zona de proteção e uma zona de vigilância, abrangendo, respetivamente, raios de três e 10 quilómetros em volta do local afetado.

Em comunicado, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) confirmou, no dia 25, tratar-se de “um novo foco de gripe aviária de alta patogenicidade” e que já tinha sido ativado o plano de contingência, estando na altura a ser implementadas medidas de controlo, entre as quais a inspeção do local e a “eliminação dos animais afetados”.

No ponto de situação agora divulgado, a Proteção Civil municipal acrescentou que “todas as aves positivas já foram abatidas” e que foram realizadas hoje “a limpeza e a desinfeção dos espaços onde se encontravam”.

De acordo com o SMPC, “continuam a ser avaliadas as explorações localizadas nas zonas de vigilância”, estando prevista, durante as próximas semanas, a deslocação de várias equipas do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) ao concelho “para monitorização das espécies cinegéticas, com o propósito de identificarem aves mortas ou a deambular”.

A Proteção Civil apela ainda a quem encontrar aves mortas ou a deambular para que informe de imediato o serviço através do email This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it. ou via telemóvel (939430728).

Este é o segundo foco a ser detetado recentemente no país, depois de no início de dezembro ter sido detetado um foco de gripe das aves numa exploração em Palmela, no concelho de Setúbal.

Fonte: Agroportal

Portugal ocupa pelo segundo ano consecutivo a segunda posição entre os 10 melhores países para os amantes de vinho visitarem nas férias, revela um estudo da Bounce.

O trabalho, que analisa fatores como o consumo e produção de vinho, a área dos vinhedos face à dimensão do país, as visitas de enoturismo e o custo médio da garrafa de vinho, visa dar a conhecer as melhores localizações (países) para quem gosta de vinho visitar nas suas férias.

A Itália ocupa o primeiro lugar, sendo o maior produtor com 82 milhões de hectolitros por 100.000 pessoas e com cerca de 400 variedades de vinhas nativas no país, seguindo-se Portugal com o maior número de visitas de enoturismo, além de ser o maior consumidor, com 47 milhões de hectolitros por 100.000 habitantes, e em terceiro lugar posiciona-se Espanha com a maior área de vinhedos (968,4 mil hectares).
Itália, Portugal, Espanha, França, Nova Zelândia, Grécia, Chile, Argentina, Austrália e a Hungria são os 10 melhores países destacados no estudo por ordem decrescente.

Fonte: Agroportal

ASAE procede à detenção de falsa inspetora

  • Wednesday, 29 December 2021 12:23

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) desencadeou, nas últimas semanas, uma investigação através da Unidade Regional do Sul – Unidade Operacional XI/Évora, após uma denúncia telefónica sobre a presença de uma pessoa do sexo feminino a fazer-se passar por inspetora num estabelecimento de restauração e bebidas, no sentido de se apurar a veracidade dos factos.

Como resultado da investigação, foi identificada uma cidadã, que se fazia passar por Inspetora da ASAE, procedendo a visitas a estabelecimentos de restauração e bebidas do distrito de Évora, com o objetivo de atemorizar os respetivos proprietários e funcionários, com alegadas visitas da ASAE para daí recolher proveitos em termos da sua área de negócio.

Na sequência foi instaurado um processo-crime pela prática do crime de Usurpação de Funções e a Constituição como arguido e sujeição a Termo de Identidade e Residência da suspeita.

A ASAE alerta e apela a que, sempre que aconteçam situações similares, que os lesados de imediato contatem este Órgão de Polícia Criminal ou as Autoridades locais a fim de poderem ser tomadas as necessárias diligências.

Fonte: ASAE