Portuguese English French German Italian Spanish

  Acesso à base de dados   |   email: qualfood@idq.pt

Esqueça estes 7 mitos alimentares em que sempre acreditou

Há muitos mitos sobre a alimentação que passam de geração em geração. Outros surgem quando se segue uma nova dieta e se ouviu coisas como “comer natas light não engorda”.

Um dos métodos para desmistificar alguns dos mitos é ler rótulos. Outro é tentar perceber as explicações científicas quanto a mitos que vêm de gerações antigas.

Os remédios caseiros feitos com mel pelos avós prometiam curar a constipação. Mas será que curavam mesmo ou apenas adoçavam a boca? Respondemos a este mito.

Os produtos light ou magros não engordam

A chave está nos rótulos. Alguns dos produtos que dizem “light” ou “magro” podem ter menos gordura, mas os fabricantes acabam por acrescentar outros ingredientes que fazem com que o valor calórico seja superior ao produtos originais.

Tira-se de um lado e põe-se do outro. É preciso estar atento à lista de ingredientes para identificar se não há gorduras ou açúcares “escondidos”.

Pão integral engorda menos do que o pão branco

Ambos engordam se não forem consumidos com conta, peso e medida. Quanto às calorias, não há diferenças significativas. O que difere é a composição nutricional.

Enquanto o pão integral tem farinhas menos refinadas – logo mais nutrientes como proteína vegetal, vitaminas e sais minerais, mais fibras e um índice glicémico mais baixo, já o pão branco é de mais fácil digestão, mas tem menos fibras e é mais pobre a nível nutricional.

Como escolher uma boa opção: ver o primeiro ingrediente do rótulo (aquele que está em maior quantidade no ingrediente); escolher o pão cujo primeiro ingrediente é farinha integral ou de centeio e não os de farinha de trigo; verificar se os restantes ingredientes não têm açúcares e gorduras “camufladas” por outros nomes.

Beber água morna com limão ao acordar emagrece

Há uns tempos os limões fugiam dos supermercados, porque se dizia que beber água morna com limão em jejum emagrecia. Contudo, não há estudo que o comprove.

É verdade que esta mistura desintoxicante aumenta o bem-estar, facilita a digestão e ajuda regula o transito intestinal… mas quanto ao emagrecimento: é mito.

Mel cura a tosse

De geração em geração este mito foi-se transmitindo. “Come uma colher de mel, faz bem à tosse”, dizem os avós e os pais.

O mel pode aliviar uma inflamação grave devido às propriedades hidratantes, mas não cura constipações ou gripes.

A Autoridade Europeia de Segurança Alimentar, citada pelo Observador, revela que o mel não aumenta as defesas do sistema imunitário, não é antioxidante, não reforça o sistema respiratório e não previne o cancro.

Beber água às refeições engorda

Beber ou não água às refeições sempre foi alvo de discussão. A verdade é que beber água durante as refeições aumenta a saciedade, melhora o processo digestivo e evita a prisão de ventre.

Dado que a água não tem valor calórico, não promove o aumento de peso. Aquilo que pode acontecer é uma dilatação do estômago se for ingerida em excesso durante a refeição.

Os ovos aumentam o colesterol

O colesterol sanguíneo não depende apenas do colesterol que ingerimos. O ovo, especialmente a gema, tornou-se ao longo do tempo um vilão no que diz respeito aos níveis de colesterol.

A verdade é que um ovo tem cerca de 224 miligramas de colesterol, de acordo com um artigo do Hospital Lusíadas. Isto significa que tem uma quantidade considerável de colesterol, mas comer um ovo por dia não é prejudicial porque nem todo o colesterol é absorvido pelo nosso organismo.

O leite é a principal fonte de cálcio

Numa altura em que surgem inúmeras alternativas de bebidas de origem vegetal, a principal questão que surge é: onde ir buscar o cálcio?

Apesar de o leite ser uma boa fonte de cálcio, vitamina D e proteínas, existem muitos vegetais de folha verde escura – como o agrião e o espinafre – que têm mais cálcio do que o leite.

A chia também é uma fonte de cálcio. O leite contém 120 miligramas de cálcio por 100 gramas. Já a chia consegue superar: tem 631 miligramas de cálcio por cada 100 gramas.

Fonte: Espalha Factos