Portuguese English French German Italian Spanish

  Acesso à base de dados   |   email: qualfood@idq.pt

Letónia requer ação europeia sobre ovos oriundos da Ucrânia

Autoridades da Letónia requerem ação da Comissão Europeia para que ovos originários da Ucrânia sejam sujeitos a monotorização, aumentando desse modo a proteção do consumidor relativamente a eventuais contaminações por Salmonella. A Letónia é o maior importador europeu de ovos da Ucrânia.

No início deste mês, o Ministro da Agricultura da Letónia, Kaspars Gerhards, enviou uma carta a Vytenis Andiukaitis, Comissário Europeu de Segurança e Saúde Alimentar, constando a necessidade de tomar medidas para minimizar o risco de salmonelose. Também nessa carta, Gerhards revela que as autoridades letãs terão encontrado gravíssimas violações de segurança alimentar durante as inspeções.

Pode ler-se no mesmo documento: "Existe um mercado único na União Europeia pelo que os produtores de ovos devem atuar no mesmo nível de exigência, isto incluí países fora da UE que possuam um acordo comercial. Independentemente do Estado-Membro onde ocorra a produção, o produto deve cumprir com todos os requisitos de qualidade e segurança. Deste modo, não poderá ser permitido que os produtores ucranianos de ovos representem exceção, ameaçando à saúde dos letões e outros".

As importações de ovos oriundos da Ucrânia aumentou desde o Acordo EU-Ucrâniauma vez que estes possibilitavam a exportação e importação sem tarifas, mas com quotas.

Fonte: Food Safety News (FSN)